Homem não gosta de mulher que...

Se você é mulher, certamente cresceu ouvindo como deveria se comportar pra corresponder às expectativas do patriarcado. Pra nos convencerem de como deveríamos agir, nos ameaçavam com a possibilidade de ficarmos sozinhas com frases como "homem não gosta de mulher que..." seguida de um comportamento que os homens reprovariam.

"Homem não gosta de mulher que dá pra todo mundo"
"Homem não gosta de mulher que não sabe cozinhar"
"Homem não gosta de mulher que dá no primeiro encontro"
"Homem não gosta de mulher que fala palavrão"

Eu creio que, de fato, a maioria dos homens pensem assim, afinal eles foram criados sob o mesmo patriarcado que nós. E estas exigências costumam vir acompanhadas de outros comportamentos que são minimizados por uma sociedade que privilegia os indivíduos do sexo masculino. Ou seja, o homem que exige uma mulher pudica costuma ser o homem que gosta de pagar de pegador. Aquele que quer uma esposa que cozinhe, geralmente não divide as tarefas domésticas e os cuidados com filhos. Os que não gostam de mulheres que dão no primeiro encontro muito provavelmente são também os homens que traem. Os que não gostam de mulheres que falam palavrão enviam e recebem pornografia em grupos de Whats App.
Portanto, a mulher que se esforça pra atender aos requisitos masculinos, precisa também se esforçar para aceitar a hipocrisia deles.

Não há sentido nessa dinâmica onde só eles se dão bem.

A partir do momento que comecei a observar que os homens com mais exigências são os de menos caráter, percebi que eu não precisaria me esforçar para atender aos seus requisitos pois eles não atendiam aos meus! De fato, encontrar um homem que partilhasse dos mesmos valores que eu não seria fácil, mas tudo bem! Devemos criar nossas crianças ensinando a elas que homens e mulheres tem direitos iguais e que um relacionamento demanda respeito mútuo. E porque não dizer às nossas meninas que se elas não encontrarem um homem que pratique isso é melhor ficarem sozinhas ou até se relacionarem com outras mulheres. Sim, eu diria isso a uma filha, entre outras coisas que o típico "cidadão de bem" não aprovaria como já relatei no texto "Você não está preparado(a) para que eu tenha filhos".

Apesar de eu ter me relacionado com poucos homens, não o fiz na tentativa de ser mais aceita por eles. Simplesmente minha vida se deu desta forma. Mas por ser totalmente a favor da liberdade sexual feminina, eu não gosto de homem que não gosta de mulher "rodada". Ou seja, eu não preciso necessariamente ser atingida para me sentir incomodada.

Essa hipocrisia masculina é bastante alimentada e defendida pelas igrejas. Ainda que nos cultos os pastores estejam sempre dizendo que o homem tem de ser bom para sua mulher, cuidá-la e respeitá-la, diante do deslize masculino a orientação é que a mulher ore para Deus colocar seu marido no caminho certo novamente pois o Satanás é ardiloso e o fez desviar-se do que é correto. Bem, é muito fácil e tentador ser um mal caráter quando a culpa disso não recairá sobre você. Eu já duvido muito que o Diabo levaria o crédito se fosse a mulher a ter um relacionamento fora do matrimônio.

É extremamente difícil não polarizar esta discussão. E digo polarizar em vez de politizar pois não há um só aspecto de nossas vidas que não seja político.
Sabe-se muito bem que partidos de direita tendem a ser liberais na economia e conservadores nos costumes, o que se alinha bastante ao posicionamento das instituições religiosas (coisa que não entendo pois ao meu ver, Jesus era comunista). Portanto não é incorreto afirmar que na maioria das vezes o homem de direita é também o religioso e o hipócrita. Para estas pessoas, é muito mais louvável um casamento baseado em mentiras onde o homem finge ser fiel e a mulher finge ser feliz do que um pautado na honestidade onde ambos concordam em manter o relacionamento aberto.
Não estou afirmando que ao se relacionar com um homem desconstruido você não corra o risco de viver um relacionamento abusivo, afinal, como diria uma amiga minha "nada mais parecido com um homem de direita do que um homem de esquerda". Mas não tenho dúvidas de que buscar por homens que se identificam com pautas mais socialistas já seja um bom filtro inicial.

Quando solteira recusei sair com eleitores do atual presidente e algumas amigas ficaram impressionadas achando uma grande besteira. Mas como eu poderia me relacionar com alguém que cedo ou tarde demonstraria total desprezo pelas coisas que acredito e pelas coisas que sou? É relativamente fácil relacionar-se com alguém cujos gostos não são iguais aos seus, mas é dificílimo quando se tratam de valores. Eu costumo dizer que o ódio une as pessoas mais até do que o amor. Quando ambos tem um ódio em comum a interação fica mais fácil e intensa. Eu odeio a desigualdade, o racismo, o patriarcado, a desonestidade, traições, hipocrisia... como eu poderia conviver com alguém que pratica tudo isso que abomino?

E se você chegou até aqui achando que estou exagerando ou forçando a barra, basta observarmos algumas evidências anedóticas: procure por casos recentes de agressão a mulheres depois busque pelo nome do agressor nas redes sociais. Você provavelmente encontrará fotos dele fazendo campanha para o Bolsonaro em 2018.

Pois bem, em resumo, o que eu quis dizer com toda esta reflexão é que tudo bem não sermos o tipo de mulher que agrada o homem padrão, pois este homem padrão também não nos agrada. Não precisamos nos adaptar a eles, não precisamos nos relacionar com homens se não quisermos e ficar só ainda é melhor do que curvar-se à submissão.

Ateia em tempo integral. Artista nas horas vagas. Aprendiz de Marxismo.